Facebook Pixel
Bebê

Por que os bebês finlandeses dormem em caixas de papelão

O estado finlandês tem dado às novas mães uma caixa de papelão há quase 80 anos. Esta caixa é uma espécie de kit inicial que contém roupas, toalhetes e brinquedos para o recém-nascido. A caixa de bebé tornou-se uma parte integrante de se tornar mãe na cultura finlandesa.

Uma criança dorme na caixa de papelão

Uma foto bastante incomum para os pais suíços: um bebê recém-nascido baba tranquilamente em uma caixa de papelão. Foto: The Baby Box Co.

Qualquer pessoa que espera um bebé na Finlândia recebe uma caixa de cartão do Estado. No seu interior tem artigos de higiene pessoal, roupa de exterior, produtos de banho para o bebé, bem como fraldas, um saco de dormir e roupa de cama. As mães esperadas decidem se querem a caixa do bebé ou dinheiro - a maioria escolhe a caixa porque tem um valor financeiro e emocional mais elevado do que o montante pago.

A tradição da caixa do bebé remonta aos anos 30. A ideia original era que cada criança, independentemente da sua formação financeira, deveria receber um começo de vida igual. Nos primeiros tempos, só as famílias necessitadas recebiam a caixa. O regulamento foi alterado em 1949 para dar a todos os pais expectantes um começo tranquilo com o seu filho. Com a nova legislação, porém, havia uma obrigação: para receber a caixa do bebê, as mães tinham que visitar um médico ou uma clínica pré-natal antes da quarta semana de gravidez. Isto não só proporcionou às mulheres os utensílios necessários para o seu bebé, mas também garantiu que fossem atendidas por médicos e enfermeiras durante a gravidez.

Um lugar para dormir de um tipo diferente

Mas a caixa de papelão tem outra função além de transportar macacão e fraldas: O pacote também contém um colchão que pode ser colocado no fundo da caixa. Isto transforma a caixa de transporte em um lugar aconchegante para os recém-nascidos. Assim, muitas crianças finlandesas de todas as classes sociais passam suas primeiras noites nestas quatro paredes de papelão. Panu Paluma, professor de História Finlandesa e Nórdica na Universidade de Helsinque, explicou em entrevista à BBC britânica que a caixa de bebê contribuiu para que os bebês não dormissem mais na mesma cama que seus pais.

Na década de 1930, a Finlândia era um país pobre e a mortalidade infantil era correspondentemente elevada - em média, 65 crianças morriam em cada 1000. Após a introdução das caixas de bebé, as taxas de mortalidade infantil melhoraram. Mika Gissler, professor do Instituto Nacional de Saúde e Bem-Estar Social em Helsinque, disse à BBC Magazine que vê várias razões para o declínio da mortalidade infantil: O início crucial foi feito pela caixa do bebê e cuidados médicos para mulheres grávidas antes do nascimento. Mas o então recém introduzido sistema nacional de seguro de saúde e uma rede hospitalar centralizada nos anos 60 também melhorou as chances de sobrevivência dos recém-nascidos.

Outros tempos, outros costumes

Conteúdo de uma Baby Box finlandesa

Roupa de bebé, fraldas, lençóis: a caixa do bebé contém tudo o que um recém-nascido precisa. Foto: zVg/ Caixa de bebé finlandesa

O conteúdo da caixa tem mudado muito ao longo dos anos: Nas décadas de 1930 e 1940 continha tecido, porque naquela época muitas mães costuravam elas mesmas as roupas do bebê. Durante a Segunda Guerra Mundial, contudo, o Ministério da Defesa teve uma necessidade crescente de algodão, pelo que parte do material foi substituído por roupa de cama de papel e panos de faixas. Em 1968, os pais encontraram pela primeira vez um saco de dormir na caixa do bebé e um ano mais tarde as fraldas descartáveis seguiram-se. No entanto, estas foram novamente substituídas por fraldas de pano na virada do século, por razões ambientais.

Como o Panu Paluma continua, o estado finlandês queria aumentar a amamentação entre as mães e, portanto, remover mamadeiras e nuggis da caixa em um determinado momento. A campanha foi um sucesso e aumentou a taxa de amamentação entre as mães. A inclusão de um livro ilustrado também teve um efeito positivo, pois facilita o acesso das crianças aos livros e as incentiva a ler mais tarde na vida.

É impossível imaginar a cultura finlandesa sem a caixa e para muitos ela se tornou um símbolo de igualdade e apreço pelas crianças.