Facebook Pixel
Desejo de ter filhos

Refertilização masculina e feminina

Uma vez concluído o planeamento familiar, alguns homens e mulheres decidem submeter-se à esterilização. No entanto, isto não tem de ser definitivo, mas pode ser invertido através de uma refertilização. Nós mostramos os métodos, custos e riscos.

Refertilização: métodos, custos e riscos

A refertilização pode reverter a esterilização. Foto: iStock, Thinkstock

A vida muitas vezes dá voltas inesperadas. Seja uma mudança de parceiro ou uma nova situação de vida - mesmo após a esterilização, pode surgir um desejo renovado de ter filhos. A refertilização pode tornar isto possível. Durante a intervenção microcirúrgica, as trompas de Falópio cortadas da mulher ou o ducto espermático cortado do homem são restaurados. No entanto, o procedimento não pode garantir um sucesso de cem por cento.

Refertilização em homens

A esterilização anterior nos homens é chamada vasectomia. No entanto, não é a única razão pela qual os homens são submetidos a uma refertilização. As lesões e inflamações do canal deferente ou uma malformação congénita também podem tornar esta operação necessária.

O que acontece durante o procedimento?

A operação é normalmente realizada sob anestesia geral e leva duas horas, dependendo do método e da dificuldade. Existem duas opções diferentes para a reconstrução do canal deferente, sendo que só no decorrer da operação é que se torna evidente qual delas deve ser escolhida.

No início do procedimento, são feitas duas pequenas incisões no escroto para expor o canal deferente. As extremidades do canal deferente, cicatrizadas pela vasectomia, são cortadas.

A parte superior do vaso deferente está directamente ligada ao epidídimo. O fluido deve agora emergir da extremidade aberta, na qual se pode encontrar espermatozóides suficientes de composição normal. Se este for o caso, as extremidades cortadas são novamente unidas sob o microscópio usando uma técnica de sutura fina e multicamadas. Este método é chamado vasovasostomia.

No entanto, se não for possível encontrar espermatozóides fertilizáveis no fluido em fuga, a extremidade superior do vaso deferente é suturada directamente nos ductos epidídimos finos. Este método deve ser usado em cerca de 23% dos casos e é chamado tubulovasostomia. Requer muita habilidade e experiência por parte do médico que a executa e também não é executada em todas as clínicas.

Possibilidades de sucesso de uma gravidez

Quanto mais tempo durar a esterilização, mais as hipóteses de sucesso da referilização também diminuem. Um estudo internacional mostra a taxa de gravidez após uma refertilização: se a vasectomia foi há menos de três anos, a taxa é de cerca de 75%; se a esterilização foi há mais de 15 anos, a taxa é de apenas 30%. Basicamente, cerca de metade dos homens pode começar o planeamento familiar.

No entanto, a possibilidade de gravidez depende não só do sucesso da referenciação, mas também da idade e da fertilidade do parceiro. A gravidez só pode ser esperada após seis a doze meses. No entanto, se não foram encontradas células espermáticas no sémen após um ano, a operação não foi bem sucedida.

Riscos de refertilização

Como a operação não envolve a cavidade abdominal, é considerada de risco relativamente baixo. No entanto, em alguns casos pode haver problemas de cicatrização de feridas, hematomas e infecções. Dependendo da gravidade, o tratamento de acompanhamento é então necessário.

Refertilização: Estes são os custos a esperar

Se a operação não tiver de ser realizada por motivo de doença, não faz parte dos benefícios obrigatórios do seguro de saúde. Os custos ascendem a 5.000 a 6.000 francos suíços e devem, portanto, ser suportados pelo paciente.

Alternativas à refertilização

Uma alternativa à refertilização é a inseminação artificial, como a ICSI. No entanto, este método envolve um risco acrescido para o parceiro e é muito menos promissor. Uma refertilização bem sucedida também permitiria várias gravidezes naturais e custaria menos.

Em princípio, tal decisão só deve ser tomada após discussões detalhadas com um médico. Desta forma, cada homem pode escolher o método que lhe é adequado pessoalmente.

Refertilização: métodos, custos e riscos

A referenciação deve ser discutida exaustivamente com um médico. Foto: Wavebreak Media, Thinkstock

A razão para uma refertilização feminina não tem necessariamente de ser uma esterilização prévia(ligação das trompas). Doenças uterinas ou inflamação das trompas de Falópio também podem tornar esta operação necessária.

O que acontece durante o procedimento?

A operação é normalmente realizada na mulher sob anestesia geral. Dependendo da condição do paciente, pode levar entre uma e três horas e envolver uma estadia de dois dias no hospital. Dois métodos diferentes podem ser usados para reparar as trompas de falópio. Ambos os procedimentos são muito complexos e requerem muita habilidade e experiência por parte do cirurgião.

O cirurgião responsável pode realizar uma laparoscopia ou uma incisão abdominal. Com ambas as opções, as áreas danificadas e as extremidades cicatrizadas das trompas de Falópio são removidas primeiro.

No método de incisão abdominal, estas extremidades são costuradas em camadas num procedimento microcirúrgico e sob um microscópio especial.

Durante a laparoscopia, a parede abdominal é apenas minimamente cortada para permitir a inserção de um endoscópio e dos instrumentos finos. O endoscópio pode ser usado para olhar para dentro do abdómen e as extremidades podem ser suturadas juntamente com os instrumentos.

Possibilidades de sucesso de uma gravidez

Ambos estes métodos acabam por conduzir ao mesmo resultado. No entanto, a maioria dos especialistas considera o método de incisão abdominal mais promissor. A hipótese de nascimento depende sempre da idade e da fertilidade de ambos os parceiros e deve ser esclarecida com antecedência.

Em princípio, a probabilidade de gravidez é maior se a operação foi realizada por causa da ligação das trompas e não por causa de uma doença. As taxas de nascimento variam entre 30 a 70 por cento. No entanto, o risco de uma gravidez expressa (LINK) é aumentado e é de 2% a 3%.

Riscos de uma refertilização

A operação ocorre na cavidade abdominal e, portanto, pode levar a infecção e peritonite com risco de vida. Também podem ocorrer distúrbios de cura de feridas, hemorragias pós-operatórias e aderências, podendo tornar necessária uma nova cirurgia. No entanto, estas complicações só ocorrem em menos de 5% de todos os casos.

Refertilização: Estes são os custos a esperar

Se a operação não for necessária devido a uma doença, o seguro de saúde não cobre quaisquer custos. Estes valores situam-se entre 7.000 e 8.000 francos suíços para uma refertilização feminina.

Alternativas à refertilização

As mulheres esterilizadas também podem engravidar através do método de inseminação artificial FIV. A refertilização, porém, é considerada mais bem sucedida e permite uma gravidez natural e também múltipla. No entanto, ambos os métodos têm riscos.

A refertilização é uma intervenção médica e deve ser sempre bem pensada e discutida com o médico. Juntos, eles escolherão o método que atenda às necessidades e desejos pessoais da mulher.

Você pode encontrar mais informações e links aqui:

www.refertilisierung.net